Interpretação

Pessoal

Interpretações, Significados e Análises de Letras de Músicas

E Vamos à Luta, de Gonzaguinha

Pouca gente de minha idade conhece Gonzaguinha. Não se trata de ser música antiga. Aqui na Paraíba mesmo, é mais fácil conhecerem o pai. Trata-se de ser música popular brasileira nem tão popular assim. O filme "Gonzaga - de Pai pra Filho" foi que, recentemente, ajudou o Brasil a redescobrir esse tal Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, cantor e compositor de sucessos, como E Vamos à Luta.

Eu me identifico muito com o estilo de Gonzaguinha. Como não poderia? E Vamos à Luta é de 1980 (álbum De Volta ao Começo), mas, no decorrer da ditadura militar, o filho (legítimo!) do Rei do Baião não demonstrou medo de fazer visitas ao DOPS. A sua carreira é marcada pelo posicionamento à esquerda e pelas convicções ideológicas. Como diria seu pai, Luizinho fazia era música de comunista.

E Vamos à Luta não é tão explícita, mas não foge à regra. A canção só poderia ser escrita por alguém como Gonzaguinha, que tanto se identificava e solidarizava com as manifestações e lutas populares. A música toda é um ode ao povo guerreiro, que luta e não se deixa abater.

A INTERPRETAÇÃO

Eu acredito é na rapaziada / que segue em frente e segura o rojão / eu ponho fé é na fé da moçada / que não foge da fera e enfrenta o leão 
Há quem entenda que nesses versos, Gonzaguinha faz menção aos cordões de proteção, presentes nas passeatas e manifestações populares, à galera que sofre mais às pressões contrárias aos atos políticos e se mantem de pé. Faz sentido, mas eu prefiro acreditar que ele tá falando é do povo comum que batalha o pão pra botar na mesa todos os dias. E do povo fala com uma intimidade de dar inveja: a rapaziada, seus amigos, companheiros. Eu prefiro crer que a rapaziada é quem merece colher os louros de toda luta popular.

Eu vou à luta com essa juventude / que não corre da raia a troco de nada / eu vou no bloco dessa mocidade / que não tá na saudade e constrói a manhã desejada
Mais uma vez, dentre todos os brasileiros, dentre todas os grupos sociais, Gonzaguinha toma as dores da juventude lutadora. Aqui claramente há uma referência à resistência do movimento estudantil à repressão militar. Não que não haja antes, há aqui e há em toda música. Mas não entendam mal, não é uma canção sobre a ditadura militar. Como anteriormente já comentado, E Vamos à Luta não passa de uma grande homenagem ao povo que mesmo sofrido não se deixa abater, não se faz infeliz.

Aquele que sabe que é negro o coro da gente / e segura a batida da vida o ano inteiro / aquele que sabe o sufoco de um jogo tão duro / e apesar dos pesares ainda se orgulha de ser brasileiro
São interessantes esses versos por dois motivos. O primeiro, que apenas confirma o que toda a música diz, é a ideia de que deve-se buscar estar no meio dos mais prejudicados pelas mazelas do sistema. Já o segundo reside no fato de, em política, muito se falar de "vergonha de ser brasileiro", enquanto a canção prega exatamente o contrário: nada de vira-latismo, apesar de tudo, deve haver orgulho de ser quem é, inclusive de ser brasileiro.

Os próximos versos são marcados pela alegria de ser brasileiro e por elementos tipicamente nacionais, como a cerveja, o botequim, o pagode e a batucada. Tudo contribui para reforçar a ideia central da canção.

Aquele que sai da batalha / e entra num botequim / pede uma serva gelada / e agita na mesa logo uma batucada / aquele que manda um pagode / e sacode a poeira suada da luta / e faz a brincadeira / pois o resto é besteira
Nós estamos pela ai! É com essas palavras que o moleque Luizinho encerra a letra de E Vamos à Luta. É como se quisesse provar a quem houve que essa gente existe e que não pode ser esquecida. Aliás, off topic, a esquerda deveria levar o povo mais em consideração; deselitizar o debate político, que só tem razão de ser se for em função do povo. Pra isso tem que arregaçar as mangas e meter a mão na massa; largar de mão a universidade. Afinal, Frei Betto já diria: a cabeça pensa onde os pés pisam. Foi isso que em 1980 Gonzaguinha já havia entendido.


# Compartilhar

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

4 comentários:

  1. eu sou apaixonado por essa música e depois da sua interpretação dela,fiquei mais apaixonado ainda. obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Wenderson.
      Somos dois apaixonados, então. Obrigada você por comentar! Um Beijão!

      Excluir
  2. que bom que vc tornou à superfície depois de um longo mergulho em si mesma...ainda bem que não pude sentir saudades de vc, pois só agora que te descobri....cheguei no tempo certo....de apenas curtir seu talento e de desfrutar de sua ideologia esquerdista (espero que não tenha mudado de lado)...parabéns por tudo!

    ResponderExcluir
  3. Espetacular a sua análise! Gostei muito e vou visitar mais vezes esta página. Parabéns e obrigado!

    ResponderExcluir

-Todos os comentários estão sujeitos à moderação da administração do Blog Interpretação Pessoal;
-Para ter seu comentário publicado sem maiores problemas, recomendamos que leia a Política de Comentários do nosso blog.